Conselheiro sudanês condena afirmação de líder da Al-Qaeda

O primeiro conselheiro da presidência sudanesa, Mini Minawi, condenou as declarações do "número 2" da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahri, nas quais ele chamou os muçulmanos a lançarem uma guerra santa caso soldados da ONU sejam enviados a Darfur, região do Sudão onde a luta entre grupos rebeldes e milícias apoiadas pelo governo islâmico deixou mais de 200 mil pessoas mortas e 2 milhões desabrigadas.Durante coletiva de imprensa, Minawi, que também é líder do Movimento de Libertação do Sudão, que firmou um tratado de paz com o governo de Cartum, capital do país, afirmou que "o problema de Darfur é político e humanitário". "A região oeste do país não pode ser de novo um cenário de morte e destruição", afirmou Minawi, rebatendo as afirmações do líder da Al-Qaeda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.