Conselho da ONU condena 'ataques terroristas' na Síria

O Conselho de Segurança da ONU condenou nesta quinta-feira os "ataques terroristas" na Síria, pedindo a todas as partes envolvidas no conflito para que abandonem a violência armada e respeitem o plano de paz internacional.

REUTERS

10 Maio 2012 | 21h09

Dois carros-bombas guiados por suicidas mataram 55 pessoas e feriram 372 nesta quinta-feira em Damasco, segundo a imprensa estatal, nos mais violentos atentados na cidade em 14 meses de rebelião contra o governo do presidente Bashar al-Assad.

"Os membros do Conselho de Segurança condenaram nos mais fortes termos os ataques terroristas ocorridos em 10 de maio em Damasco, na Síria, causando numerosas mortes e ferimentos", disseram os 15 países do Conselho em nota.

O Conselho também pediu às partes que implementem "de forma imediata e abrangente" o plano de paz do mediador internacional Kofi Annan, composto por seis itens, incluindo o fim da violência armada.

O Conselho "reafirmou que o terrorismo em todas as suas formas e manifestações constitui uma das mais sérias ameaças à paz e à segurança internacionais, e que quaisquer atos de terrorismo são criminosos e injustificáveis, a despeito da sua motivação."

A declaração foi emitida após um debate do Conselho sobre a luta global contra o terrorismo, durante o qual o embaixador sírio na ONU, Bashar Ja'afari, denunciou um aumento na "escala e frequência das atividades e operações terrorista na Síria" desde a entrada em vigor de uma precária trégua em 12 de abril.

(Reportagem adicional de Michelle Nichols)

Mais conteúdo sobre:
ONU SIRIA CONDENA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.