Conselho da UE reúne-se para discutir Oriente Médio

O Conselho da União Européia, formado pelos 15 ministros das relações exteriores, reúne-se hoje à noite, em caráter de emergência, em Luxemburgo, para discutir a situação no Oriente Médio. O recado urgente veio de Madri, atual presidência da UE, depois dos últimos acontecimentos, tanto no Oriente Médio, quanto na Europa. O presidente da Comunidade Européia, Romano Prodi, declarou que "não há solução militar para a crise. Temos de prosseguir com as negociações. A situação é crítica e sabemos que haverá mais mortes. Mas os dois lados devem cumprir as decisões do Conselho de Segurança da ONU, que pede o cessar fogo imediato, de violência, terror e destruição." O presidente da Comissão Européia, afirmou que Israel deve se retirar "imediatamente da Palestina, inclusive Ramallah". Prodi disse que hoje à noite será discutida com os ministros, a necessidade de uma nova mediação européia na região, ?porque não basta as ações dos Estados Unidos. Arafat deve circular sem restrições?. "Não vamos admitir o antisemitismo dentro da nossa casa. A Europa é uma união de minorias e vamos defender os prinicipios dos direitos humanos, civis e religiosos", afirmou.O presidente disse ter conversado com Sharon no último sábado. ?Ponderei que ter Arafat como prisioneiro não reduz sua força. Eu disse que se quisessemos poderiamos buscar Arafat agora, mas ele tomou a decisão de ficar lá. Então a solução para este problema, mostra mais uma vez, que só pode ser resolvido com o diálogo. Todos devem sentar à mesa", afirmou.Nesta terça-feira, Israel declarou Belém "zona militar interditada à imprensa pela Força Armada". Segundo a Organização dos Direitos Humanos da Nações Unidas, vários civis palestinos foram mortos deliberadamente ao deixarem o hospital em Hamallah. Ambulâncias da Cruz Vermelha foram confiscadas, médicos e jornalistas estão confinados em hotéis, de acordo com os últimos relatos da Organização. PetróleoO preço do barril do petróleo chegou ontem a US$ 27,70. O barril de Brent (petróleo do mar do norte) para entrega prevista para maio, da "International Petroleum Exchange" (IPE) de Londres, atingiu seu patamar mais alto desde setembro, batendo US$ 27,63. Em Nova York, o preço de referência do petróleo bruto (light sweet crude) para entrega em maio chegou a US$ 27,70. A comissária européia de transporte e energia, Loyola de Palacio, declarou nesta terça-feira que os países produtores de petróleo "devem manter o preço do barril a um nível razoável a fim de evitar uma grande volatilização".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.