AP
AP

Conselho de Direitos Humanos da ONU condena violações na Síria

Mandato de investigadores que documentam os crimes contra a humanidade, incluindo execuções e tortura, é estendido

Reuters, REUTERS

23 Março 2012 | 08h42

GENEBRA - O Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas(ONU) condenou nesta sexta-feira, 23, o que chamou de "escalada aguda" e violações generalizadas cometidas por forças sírias e estendeu o mandato de seus investigadores que documentam os crimes contra a humanidade, incluindo execuções e tortura.

 

Veja também:
especialMAPA: 
A revolta que abalou o Oriente Médio
mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: Imagens da revolução
tabela ESPECIAL: Um ano de Primavera Árabe 

Os 47 membros do fórum em Genebra, na Suíça, adotaram uma resolução apresentada pela Dinamarca em nome da União Europeia que prolonga o mandato da comissão de inquérito até a sua sessão em setembro.

Na votação, 41 Estados foram a favor, três contra (China, Cuba e Rússia), duas abstenções e uma delegação que não participou (Filipinas).

Mais cedo, o conselho derrotou a proposta da Rússia de emendar a resolução para que também condenasse os mortais "ataques terroristas" em Damasco e Aleppo no início deste mês. A delegação russa denunciou que a resolução europeia tinha apenas "um lado".

Mais conteúdo sobre:
ONUDIREITOSHUMANOSSIRIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.