Conselho de Direitos Humanos da ONU discutirá violações na Líbia

Convocação é aprovada graças ao apoio de países ocidentais e latino-americanos, inclusive o Brasil

Efe,

23 de fevereiro de 2011 | 11h57

O Conselho de Direitos Humanos (CDH) das Nações Unidas se reunirá na próxima sexta-feira em uma sessão extraordinária para debater a situação na Líbia, devido à violenta repressão das manifestações populares que reivindicam o fim do regime de Muammar Kadafi.

Veja também:

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia

mais imagens Galeria:   Veja imagens dos conflitos

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

blog Radar Global: Acompanhe os protestos na região

 

A convocação desta reunião especial foi feita graças ao apoio de países ocidentais e latino-americanos, segundo fontes do órgão. No total, 19 países de um total de 47 que integram o CDH assinaram o pedido lançado pela Hungria - representando a União Europeia - para convocar a sessão da sexta-feira.

Os signatários foram Brasil, Estados Unidos, Noruega, Senegal, Japão, Polônia, Hungria, Bélgica, Espanha, França, Jordânia, Argentina, Chile, Reino Unido, Catar, Suíça, México, Ilhas Maldivas e Eslováquia. Nem o Egito, nem o Paquistão aprovaram o pedido, enquanto a China e a Rússia se abstiveram.

Esta será a primeira vez que um país membro do CDH (a Líbia se incorporou ao órgão em 2010 por um período de quatro anos) é examinado em uma sessão especial, que é convocada unicamente quando são registradas graves violações dos direitos humanos em determinada nação.

Em cinco anos de existência do órgão, este procedimento foi aplicado nos territórios palestinos ocupados, no Líbano, Darfur (Sudão), República Democrática do Congo, Mianmar, Sri Lanka, Haiti e, mais recentemente, Costa do Marfim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.