Conselho de ministros exige que curdos icem bandeira do Iraque

O Conselho de Ministros iraquiano exigiu neste domingo que o governo da região autônoma do Curdistão, no norte do país, ice a bandeira do Iraque nos prédios oficiais até que o Parlamento estatal decida ou não uma mudança. Segundo um comunicado emitido após uma sessão do Conselho, a bandeira do Iraque (preta, branca e vermelha) é "a única que deve ser hasteada em todo o território iraquiano até que se tome uma decisão constitucional" sobre sua mudança.O pedido dos ministros foi feito depois que o presidente do Curdistão iraquiano, Massoud Barzani, ordenou na sexta-feira o abaixamento da bandeira do Iraque nos edifícios governamentais da região autônoma e o hasteamento apenas da bandeira local.A decisão foi anunciada no site do Partido Democrático Curdo (KDP, na sigla em inglês), dirigido por Barzani. A nota diz que a bandeira iraquiana só deve ser içada durante eventos e celebrações de caráter nacional.A Associação de Ulemás Muçulmanos, máxima autoridade religiosa árabe sunita no Iraque, condenou a decisão e a classificou como"um passo sem precedentes".A região autônoma do Curdistão abrange as províncias de Erbil, Sulaimaniya e Dohuk, habitadas por mais de quatro milhões de curdos-iraquianos, que desfrutam de uma quase-independência desde o fim da guerra do Golfo, em 1991.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.