Conselho de Segurança adia reunião sobre veredicto de Suu Kyi

Alguns países pediram tempo para analisar minuta apresentada pelos EUA que condena decisão.

BBC Brasil, BBC

11 de agosto de 2009 | 20h57

O Conselho de Segurança das Nações Unidas adiou para esta quarta-feira uma sessão de emergência para discutir uma reação à nova condenação da líder da oposição em Mianmar, Aung San Suu Kyi, a 18 meses adicionais de prisão domiciliar.

Segundo o embaixador da Grã-Bretanha na ONU, John Sawers, a decisão foi tomada pois alguns países, como China e Rússia, pediram mais tempo para analisar uma minuta de declaração apresentada pelos Estados Unidos condenando o veredicto.

De acordo com a correspondente da BBC em Washington Kim Ghattas, o texto apresentado pelos EUA pede a libertação imediata de Suu Kyi e de outros prisioneiros políticos.

Além disso, ainda requer das autoridades de Mianmar esforços para garantir um processo eleitoral inclusivo e de credibilidade.

A minuta conta com o apoio de países como a Franca e a Grã-Bretanha no Conselho de Segurança, mas os EUA buscam um apoio unânime à declaração.

Da última vez que Washington apresentou uma minuta pedindo a libertação incondicional da líder, o texto foi bloqueado pela China e pela Rússia.

Embaixadores nas Nações Unidas estão consultando suas capitais sobre a minuta apresentada pelos EUA antes da reunião desta quarta-feira.

Segundo Ghattas, não há sinais de como Pequim irá reagir em meio à forte condenação sobre o veredicto em diversas partes do mundo, mas é provável que a China novamente pressione por uma versão mais amena do documento. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.