Conselho de Segurança aumenta pressão sobre Sudão

O Conselho de Segurança da ONUaprovou hoje uma resolução ameaçando impor sanções contra o Sudão caso o governo não aja com rapidez para reprimir milíciasárabes acusadas de promover a violência na região de Darfur - onde os Estados Unidos consideram esteja ocorrendo genocídio. A resolução, apresentada pela administração Bush, foi aprovada por 11 votos a favor e 4 abstenções - China, Rússia, Paquistão e Argélia. Esses países se opunham à ameaça de sanções ao setorpetrolífero sudanês e a outros pontos que para eles iriam irritar o governo de Cartum e levá-lo a suspender cooperação comesforços internacionais visando conter a crise humanitária se desenrolando na região ocidental de Darfur. Os Estados Unidos reescreveram a resolução três vezes, amenizando a linguagem numa tentativa de angariar maior apoio e evitar um veto chinês.Apenas numa reunião de último minuto entre o embaixador americano, John Danforth, e seu colega chinês, Wang Guangya, que Pequim decidiu não exercitar seu poder de veto. Para seremaprovadas, as resoluções têm de conquistar nove votos entre os 15 membros do conselho. A resolução endossa o envio de uma grande força da União Africana com a missão adicional de buscar ativamente evitar ataques entre as partes e mediar negociações. Mais de 50.000pessoas já morreram e cerca de 1.2 milhão abandonaram suas casas para escapar da violência na região. A resolução também autoriza que o secretário-geral Kofi Annanaponte uma comissão internacional para investigar notícias deviolação dos direitos humanos em Darfur e determinar "se atos degenocídio estão ou não ocorrendo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.