Conselho de Segurança condena ataques do Hezbollah

Os "ataques deliberados" de guerrilheiros do Hezbollah contra os observadores militares da Nações Unidas no sul do Líbano foram condenados nesta quinta-feira pelo secretário-geral, Kofi Annan, e pela presidência do Conselho de Segurança. O presidente de turno do Conselho, o embaixador russo Sergei Lavrov, acrescentou que "se deve respeitar plenamente as resoluções da ONU" sobre a força de dissuasão que controla a chamada "linha azul". Segundo o porta-voz Fred Eckhard, Annan lembrou a todas as partes sua responsabilidade pela "segurança e liberdade de movimento das forças de paz". Annan reafirmou que "qualquer escalada nas tensões ao longo da ´linha azul´ pode ter sérias conseqüências para a paz e a segurança da região". Na quarta-feira, uma carta do ministro das Relações Exteriores israelense, Shimon Peres, ao secretário-geral denunciou que a intenção do Hezbollah de infiltrar geurrilheiros na região "cria uma segunda frente na crise" do Oriente Médio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.