Conselho de Segurança da ONU aprova fim de cerco a Arafat

O Conselho de Segurança aprovou na madrugada desta terça-feira uma resolução exigindo o fim do cerco ao líder palestino, Yasser Arafat, em Ramallah, por parte das tropas israelenses. A resolução foi aprovada por 14 votos a favor e uma abstenção, dos Estados Unidos.Os americanos alegaram que ?a resolução não condena os grupos terroristas palestinos que provocam tantas mortes e que perpetuam o conflito no Oriente Médio e criam obstáculos para o processo de reforma das autoridades palestinas".O documento, que foi apresentado por Noruega, Bulgária, França e Reino Unido, também pede a Israel que ponha fim à destruição da infra-estrutura civil e de segurança da Autoridade Nacional Palestina. Além disso, reitera a petição para que cessem todos os atos de violência por ambas as partes, e expressa seu apoio ao trabalho que está sendo realizado pelo "quarteto" formado por EUA, Rússia, União Européia e Nações Unidas.A resolução foi aprovada, após uma reunião de urgência solicitada pelo observador da Palestina na ONU, Naser al-Kidwa, através do grupo árabe, diante da escalada de violência e do novo cerco imposto ao líder palestino, Yasser Arafat. Em nome do grupo árabe, a Síria apresentou um projeto de resolução que foi rechaçado pelos EUA, que anunciou que caso fosse à votação, usaria seu direito de veto. Em sua intervenção na reunião, o embaixador dos EUA, John Negroponte, indicou de antemão sua rejeição a qualquer resolução sobre o Oriente Médio, que condene apenas os atos de terror de uma das partes no conflito. Nabil Abú Rudeina, um dos conselheiros de Arafat, declarou, após saber da decisão da ONU, que ?é um passo em boa direção, mas é importante insistir para que Israel cumpra esta resolução e se retire imediatamente do quartel-general da Autoridade Palestina?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.