Conselho de Segurança finaliza resolução sobre o Irã

Os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU chegaram a um acordo sobre uma resolução que dará ao Irã até o fim de agosto para suspender o enriquecimento de urânio ou enfrentar a ameaça de sanções econômicas e diplomáticas. O texto foi aprovado pelos outros 15 membros do conselho nesta sexta-feira, e pode ser adotado ainda no começo da semana que vemEm virtude das exigências da Rússia e da China, o texto é mais brando que seus rascunhos anteriores, que tornariam as ameaças de sanções imediatas. A proposta de resolução adotada permite que o Irã tenha uma nova chance de mudar sua posição no futuro. O texto representa uma vitória para a Rússia e para a China, que alegam que a resolução não é um ultimato, mas um novo pedido para que o Irã aceite um acordo que inclui vários incentivos. "Não há sanções contra o Irã na proposta de resolução que estamos finalizando", disse o embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin.A resolução, esboçada pelo Reino Unido, Alemanha e França e apoiada pelos Estados Unidos, sucede um acordo de ministros do Exterior de seis países, realizado no dia 12 de julho. Durante o encontro, os países decidiram enviar o caso iraniano novamente ao Conselho de Segurança pois o Irã se negou a responder a uma oferta de incentivos para que suspendesse o enriquecimento de urânio. Os ministros pediram aos membros do conselho que adotassem uma resolução tornando a suspensão do enriquecimento de urânio obrigatória. Na semana passada, Teerã disse que daria uma resposta sobre o pacote de incentivos no dia 22 de agosto, mas o Conselho decidiu ir à diante com a resolução e não esperar a resposta iraniana.Pronto para negociar Nesta sexta-feira o ministro do Exterior iraniano, Manouchehr Mottaki, afirmou que seu país está pronto para realizar negociações sobre seu programa nuclear e está considerando atentamente o pacote de incentivos. Mottaki alegou, durante uma visita à Malásia, que seu governo considera o pacote "um passo adiante e positivo rumo à uma solução diplomática". O ministro iraniano notou que o Supremo Conselho de Segurança Nacional do Irã emitiu um comunicado na semana passada no qual "anunciou que o Irã está pronto para negociações imediatas". O Irã já havia reiterado na semana passada sua disposição a retomar as negociações, mas não recebeu resposta de líderes mundiais. A secretária de Estado americana Condoleezza Rice disse que Teerã deve falar sobre a proposta diretamente com os negociadores. Outros ministros e governantes afirmaram que o Irã fez declarações semelhantes anteriormente e que elas não levaram a nada. Os Estados Unidos e alguns de seus aliados acusam o Irã de ambicionar o enriquecimento de urânio e plutônio para armas nucleares. Teerã nega tais acusações, argumentando que seu programa nuclear é pacífico e tem fins civis.Texto atualizado às 17h03

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.