Conselho de Segurança poderá reforçar sanções ao Irã

Representantes dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e a Alemanha manterão consultas telefônicas neste fim de semana sobre uma nova resolução de sanções ao Irã, disse nesta sexta-feira, 2, o ministro de Assuntos Exteriores francês, Philippe Douste-Blazy.Em uma conferência telefônica nesta quinta-feira, altos funcionários dos seis países concordaram em avançar rumo a uma nova resolução e evocaram grandes mudanças no conteúdo da mesma, que retomaria o "espírito" da 1737, de dezembro, e que reforçaria seu "impacto", acrescentou o ministro à imprensa.Esse reforço das sanções poderia passar pela designação de novas personalidades identificáveis como objeto de sanções e por medidas "complementares", disse Douste-Blazy.Depois das consultas telefônicas do fim de semana, as conversassobre o conteúdo "preciso" da nova resolução continuarão no Conselho de Segurança da ONU, do qual Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia e China são membros permanentes.ResoluçãoA resolução 1737, aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU em dezembro, impôs sanções ao Irã por sua recusa a suspender oenriquecimento de urânio.Na conferência telefônica de quinta-feira, 1, os representantes dosseis países reiteraram seu acordo sobre a necessidade de darprosseguimento ao processo no Conselho de Segurança e, ao mesmo tempo, destacaram sua disposição a retomar as negociações com Teerã no marco da "dupla suspensão", assinalou o chefe da diplomacia francesa.A proposta de "dupla suspensão" implicaria na suspensão por parte do Irã de suas atividades nucleares sensíveis e, por parte dos seis, do processo no Conselho de Segurança da ONU.A retomada das negociações com o Irã é o objetivo e não serãopoupados esforços para isto, destacou Douste-Blazy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.