REUTERS/Rafael Marchante
REUTERS/Rafael Marchante

Conselho de Segurança recomenda ex-premiê português para dirigir a ONU

António Guterres, de 67 anos, foi escolhido por aclamação para substituir o sul-coreano Ban Ki-moon a partir de janeiro; português prometeu servir 'aos mais vulneráveis com humildade e gratidão'

O Estado de S. Paulo

06 Outubro 2016 | 15h08

NAÇÕES UNIDAS - O Conselho de Segurança da ONU recomendou formalmente nesta quinta-feira, 6, o ex-primeiro-ministro de Portugal António Guterres, de 67 anos, para assumir a Secretaria-Geral da organização e substituir o sul-coreano Ban Ki-moon, de 72 anos, a partir de janeiro.

A decisão foi anunciada no final de uma reunião a portas fechadas dos 15 integrantes do Conselho de Segurança. A recomendação passa agora para a Assembleia-Geral, que deve ratificar a designação de Guterres quando se reunir para analisar o caso na próxima semana.

O anúncio foi feito pelo embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin, cujo país preside este mês o Conselho de Segurança. Churkin leu o breve texto da resolução na qual o Conselho de Segurança da ONU recomenda Guterres para o cargo. De acordo com o embaixador russo, a decisão foi adotada por aclamação.

O diplomata comentou que a designação de Guterres foi feita após um "processo justo" que permitiu conhecer os outros candidatos que aspiravam para o posto. "(Guterres) Era o melhor candidato disponível", acrescentou o embaixador russo, que também afirmou que, assim que for confirmado pela Assembleia-Geral, caberá a Guterres nomear os integrantes do alto escalão da Secretaria-Geral.

Guterres foi primeiro-ministro de Portugal de 1995 a 2002 e serviu como alto comissário da ONU para os refugiados de 2005 a 2015.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, elogiou nesta quinta a escolha do ex-premiê português António Guterres como seu sucessor. "Conheço Guterres muito bem e considero uma super escolha", disse Ban a repórteres em Roma, após encontro com o presidente italiano.

"Sua experiência como primeiro-ministro português, seu amplo conhecimento em questões mundiais, e seu intelecto irão servi-lo bem na liderança da Organização das Nações Unidas em um período crucial", disse Ban.

Em Lisboa, Guterres afirmou depois de ser escolhido pelo Conselho de Segurança que "servirá aos mais vulneráveis" com "humildade e gratidão" quando assumir o cargo. "Para expressar o que sinto hoje, duas palavras são bastam: humildade e gratidão", afirmou o português na sede do Ministério de Relações exteriores de seu país. Ele também elogiou o "processo transparente e aberto" que o escolheu e agradeceu a confiança depositada nele pelos membros do conselho.

"Sinto a humildade de quem enfrenta desafios enormes em um mundo perturbado por problemas muito sérios. Mas também a humildade de poder servir aos mais vulneráveis, às vítimas de conflitos e do terrorismo, às vítimas de violações de direitos, da pobreza ou de injustiças em nosso mundo." / EFE, REUTERS e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.