Conselho de Segurança reúne-se com grupo opositor sírio

O Reino Unido está organizando uma reunião informal entre o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), que deve acontecer na sexta-feira, para que seus membros possam trocar pontos de vista com líderes do principal grupo de oposição da Síria.

Agência Estado

23 de julho de 2013 | 15h06

O embaixador britânico na ONU, Mark Lyall Grant, disse nesta terça-feira que a delegação da Coalizão Nacional Síria será liderada por Ahmed al-Jarba, presidente do grupo.

As opiniões do Conselho sobre a Síria estão profundamente divididas desde o início do conflito, dois anos e meio atrás. Rússia e China, que apoiam o governo sírio, vetaram três resoluções apoiadas pelo Ocidente que tinham como objetivo pressionar o presidente Bashar Assad a encerrar a violência, que já matou mais de 93 mil pessoas, segundo dados da ONU.

Lyall Grant disse que a reunião será um fórum para que membros do Conselho tenham uma "troca franca e informal" com a Coalizão Nacional a respeito de uma série de questões envolvendo o fim da violência na Síria.

Também serão discutidos os preparativos para uma conferência internacional em Genebra, com o apoio da ONU e da Rússia, para tentar chegar a um acordo a respeito de um governo de transição, tendo como base um plano discutido um ano atrás. A Coalizão Nacional disse recentemente que não vai participar desse encontro a menos que ele trate da entrega de poder por Assad.

A eleição de Al-Jarba, no início deste mês, sugere que a oposição está tentando se unir, apesar das diferenças depois que as forças de Assad começaram a ganhar terreno no mês passado. O bloco opositor é composto principalmente por políticos exilados, que têm pouco apoio dos sírios que permanecem no país.

Uma delegação da Coalizão Nacional visita Paris nesta terça e quarta-feira, antes de se dirigir para Nova York. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUSíriaConselho de Segurança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.