Conselho dos EUA reprova droga contra câncer de mama

Um grupo de oncologistas norte-americanos decidiu hoje pela segunda vez e por unanimidade que o medicamento Avastin não deve mais ser indicado a pacientes com câncer de mama. A votação, por um grupo de conselheiros da agência de vigilância sanitária do país, a FDA, ocorreu hoje, menos de um ano após o mesmo grupo ter chegado à mesma conclusão sobre o Avastin, o remédio contra a doença mais vendido no mundo.

Agência Estado

29 de junho de 2011 | 20h42

A repetição do pleito se deu porque a fabricante do Avastin, a suíça Roche, apelou da decisão - o que é raro - e fez lobby na FDA e no Congresso dos Estados Unidos para que a droga tivesse uma segunda chance. A aprovação da droga para o câncer de mama era temporária, até que novos estudos definissem sua eficácia. Os seis membros do grupo votaram que, para o câncer de mama, o Avastin não é eficaz nem seguro. Eles defendem que seu registro não seja mantido. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.