Conselho investiga médico em nascimento de óctuplos

O Conselho Médico da Califórnia está investigando o médico que ajudou Nadya Suleman, mãe de óctuplos, a dar à luz 14 vezes por meio de fertilização in vitro. O conselho não informou o nome do médico, mas disse estar verificando se não houve "violação dos padrões de assistência médica", disse ontem a porta-voz do conselho, Candis Cohen.Nadya, de 33 anos, já tinha seis filhos quando deu à luz óctuplos no dia 26 de janeiro. Os partos de uma mãe divorciada e sem emprego levantaram discussões acaloradas sobre como ela planeja sustentar seus 14 filhos. Nadya disse que seu objetivo na vida era ser mãe e que tentou por sete anos engravidar até finalmente dar à luz o primeiro filho em 2001. "Tudo o que sempre quis foi ter filhos. Eu queria ser mãe. Era o que eu mais desejava na vida", afirmou ela.Em entrevista à rede NBC, transmitida na sexta-feira, Nadya disse que teve seis embriões implantados em cada uma de suas gestações in vitro, usando o mesmo doador de esperma e o mesmo especialista de fertilidade. No caso dos óctuplos, o procedimento resultou em seis meninos e duas meninas, incluindo dois pares de gêmeos."É difícil entender a revelação de que um único centro fez o tratamento", disse Arthur Caplan, presidente de bioética da Universidade da Pensilvânia. "Eles foram adiante quando ela já tinha seis filhos, sabendo que ela era mãe solteira...e puseram os embriões nela mesmo assim". Nos Estados Unidos, não há lei ditando o número de embriões que podem ser colocados no útero de uma mulher. Múltiplos embriões podem ser colocados para aumentar as chances de um sobreviver.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.