Conselho Sul-Americano expõe divisões regionais

A primeira reunião de ministros do Conselho de Defesa Sul-Americano, mantida de segunda-feira até ontem em Santiago, no Chile, mostrou que as disputas entre 5 de seus 12 países membros são um obstáculo para qualquer tentativa de cooperação militar imediata. Os ministros da Defesa do Equador, Javier Ponce, e da Venezuela, Ramón Carrizález - que é vice-presidente da Venezuela e ocupa a pasta da Defesa temporariamente - criticaram duramente a Colômbia, no último dia do encontro.?Não se pode violar a soberania de um país sob pretexto de perseguição a um grupo irregular?, disse Ponce. A declaração foi endereçada ao ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos, que, dias antes, declarou a um jornal colombiano que seu país tem o direito de atacar as Forças Armadas Revolucionárias (Farc) mesmo que os guerrilheiros estejam escondidos num país vizinho. Um ano atrás, a Colômbia destruiu um acampamento das Farc no norte do Equador e matou um dos principais líderes do grupo, Raúl Reyes. Em resposta, Equador e Venezuela ameaçaram revidar, até que um encontro do Grupo do Rio, na República Dominicana, esfriou a disputa. ?A política de extraterritorialidade da Colômbia não tem espaço num conselho como esse?, disse Ponce. Segundo ele, a Colômbia ?resistiu inicialmente a entrar no conselho porque não queria que esse problema fosse tratado multilateralmente?.Numa polêmica paralela, o ministro da Defesa do Chile, José Goñi, descartou a possibilidade de retomar as negociações sobre os limites marítimos com o Peru, considerado um dos pontos mais sensíveis da política externa chilena. Goñi disse que ?não há espaço? para a proposta conhecida como ?dois mais dois?, que reuniria periodicamente ministros de ambos os países para resolver suas disputas limítrofes. Esses encontros foram suspensos em janeiro, depois que Lima levou o caso ao Tribunal de Haia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.