David Mercado/Reuters
David Mercado/Reuters

Conservador disputa cargo pela 3ª vez

Samuel Doria Medina, empresário e candidato pela UD

O Estado de S. Paulo

11 de outubro de 2014 | 16h45


O candidato da oposição, Samuel Doria Medina, de 55 anos, aposta em seu talento como administrador para chegar ao segundo turno na disputa presidencial com Evo Morales, por quem já foi derrotado anteriormente nas eleições presidenciais de 2005 e 2009.

Nascido na capital, La Paz, e pai de cinco filhos, o opositor exibe como sua principal credencial uma bem-sucedida carreira empresarial, principalmente desde que assumiu, em 1987, a Sociedade Boliviana de Cimento (Soboce), que é hoje a maior do setor no país e na qual permanece apenas como acionista. Durante a campanha, afirmou que o valor de suas empresas – além da Soboce, é dono de uma rede de supermercados – aumentou “umas 500 vezes” sob sua liderança. Doria Medina também foi ministro das Finanças em 1992, durante o governo Jaime Paz Zamora.

Durante a campanha, o opositor teve de lidar com acusações de que pretendia privatizar as estatais e suspender o pagamento de benefícios sociais. Enfrentou também um caso de assédio por parte de um de seus braços direitos, o deputado Jaime Navarro, que renunciou.

Candidato do partido Unidade Democrática (UD), o empresário tem amargado maus resultados nas pesquisas, obtendo entre 13 e 18% das intenções de voto – quase 40 pontos porcentuais abaixo de Evo. Doria Medina questiona os números das pesquisas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.