Conservador pode vencer eleição chilena no 1º turno

A quatro dias da eleição presidencial no Chile, o candidato conservador Sebastián Piñera se mantém como amplo favorito para vencer o pleito de domingo e o diretor de uma empresa de pesquisas não descartou que o opositor de direita vença no primeiro turno. "Eu não descarto a chance de Piñera ganhar no primeiro turno, é uma hipótese", disse o diretor do Centro de Estudos da Realidade Contemporânea (Cerc), Carlos Huneeus.

AE-AP, Agencia Estado

09 de dezembro de 2009 | 18h52

Piñera, de 60 anos, tem o apoio da aliança dos partidos Renovação Nacional (RN) e União Democrática Independente (UDI). Ele se mantém na frente em todas as pesquisas desde o início da corrida presidencial, no começo do ano. Piñera é um empresário bilionário e tentou a presidência antes em 2006, quando foi derrotado pela atual presidente Michelle Bachelet no segundo turno.

Huneeus não quis mostrar números de pesquisas para o primeiro turno e insistiu que se trata de uma preleção. Segundo ele, Piñera deverá vencer com 44,1% dos votos no domingo, enquanto o candidato do governo, Eduardo Frei, deverá obter 31% dos votos. O deputado independente Marco Enríquez-Ominami deverá ficar com 17,7% dos votos. O representante da esquerda, Jorge Arrate, deverá receber 7,2% dos votos.

Huneeus revelou também os resultados da pesquisa para um eventual segundo turno, que poderá acontecer em 17 de janeiro. Piñera obteria 49% dos votos contra 32% de Frei. Se o adversário de Piñera for Enríquez-Ominami, a vitória de Piñera seria mais estreita: ele teria 47% dos votos, enquanto o deputado independente receberia 35% dos sufrágios. A pesquisa da Cerc foi feita com 1.200 pessoas no país inteiro entre 24 de novembro e 5 de dezembro, com margem de erro de 3%.

Huneeus, um dos pesquisadores mais antigos do Chile, assinalou que embora o cenário do segundo turno possa mudar, Piñera deverá vencer. "A direita, no Chile, está em melhores condições" de alcançar o poder.

Amplo favoritismo

Outra pesquisa, feita pelo jornal El Mercurio, mostrou também o favoritismo de Piñera, embora o quadro do segundo turno seja mais incerto, considerando uma margem de erro de 2,8%. Nessa pesquisa, feita nas três maiores cidades do Chile, Santiago, Valparaíso e Concepción, Piñera venceria o segundo turno com 42,5% dos votos, frente a 34,4% de Frei. Mas se o deputado Enríquez-Ominami avançar para o segundo turno, Piñera obteria 40,7% dos votos, enquanto seu adversário ficaria com 34,8%.

Piñera deverá encerrar sua campanha amanhã, num enorme evento organizado no centro de Santiago. Os outros candidatos optaram por comícios em bairros populares ou em cidades do interior. Oficialmente, a campanha eleitoral será concluída à meia-noite desta quinta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.