Conservadores debatem legalização da maconha na Inglaterra

O Partido Conservador britânico, que se encontra em pleno processo de eleição de um novo líder, iniciou hoje um debate sobre a legalização da maconha. O debate foi aberto porque um dos candidatos, Michael Portillo, declarou-se a favor de discutir uma modificação nas leis neste sentido, e o ex-número dois do partido, Peter Lilley, defendeu a legalização da droga. Lilley, que foi ministro nos governos de Margaret Thatcher e John Major e que tem reputação de pertencer à ala dura do partido, foi a primeira figura destacada entre os conservadores a defender publicamente a legalização da maconha em artigo no The Daily Telegraph, o maior jornal do país. Até agora, a posição oficial dos conservadores - representados neste assunto pela porta-voz em temas políticos Ann Widdecombe -, era contra os usuários da droga. Lilley lembrou a seus colegas de partido que uma das principais causas da grande derrota eleitoral conservadora nas eleições gerais do mês passado foi a percepção de que o partido adota uma política negativa e punitiva (especialmente em matérias de imigração, crimes e drogas). O ex-ministro conclamou seus correligionários a tentar atrair os jovens e as minorias étnicas, que sabem - segundo ele - que a lei contra a maconha é ridícula. Ele lembrou a legalidade do álcool e do cigarro para basear sua defesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.