Conservadores e antieuropeus vencem eleição finlandesa

O Partido da Coalizão Nacional (conservador, de centro-direita), que atualmente governa a Finlândia em coalizão com os centristas, foi declarado vencedor nas eleições parlamentares do país europeu na noite deste domingo. O Partido Centrista, da primeira-ministra Mari Kiviniemi, foi derrotado, enquanto o partido de direita Finlandeses Verdadeiros, que é contra a União Europeia (UE) e também é contrário a pacotes de socorro financeiro a países em dificuldades, como Portugal, emergiu como a terceira força política mais poderosa do país, subindo de 4,7% dos votos (em 2007) para 19%. O Partido da Coalizão Nacional obteve 20,4% dos votos, enquanto os social-democratas ficaram em segundo, com 19,1% dos votos.

AE, Agência Estado

17 de abril de 2011 | 19h59

Com 99% dos votos apurados, os resultados indicam que o Partido da Coalizão Nacional conquistou 43 das 200 cadeiras do Parlamento. O Partido Social-Democrata, de centro-esquerda, obteve 42 cadeiras, enquanto o Partido Finlandeses Verdadeiros obteve 39 cadeiras, mostram os resultados preliminares da autoridade eleitoral.

Se os resultados forem confirmados, o político conservador Jyrki Katainen deverá formar uma coalizão de governo ou com os social-democratas ou com os Finlandeses Verdadeiros. Embora os conservadores sejam a favor da União Europeia e do socorro a países em dificuldades financeiras, tanto os social-democratas quanto os Finlandeses Verdadeiros são contra os pacotes de socorro financeiro a outros países europeus.

"O resultado provocará problemas para a Europa com os fundos dos pacotes de socorro", disse o analista Olavi Borg à agência Associated Press. Se apenas um país europeu discordar do socorro oferecido a outro, o sistema não funciona, o que pode levar a uma piora na crise da dívida, no momento em que a UE decide se os pacotes acabarão em Portugal ou serão necessários para economias maiores como a Espanha.

"Precisamos parar de dar dinheiro para os outros países. Nós somos um país de 5,5 milhões de pessoas e não podemos nos dar a esse luxo", disse Tuua Kuusinem, candidato a parlamentar pelos Finlandeses Verdadeiros.

"Esta é uma mudança histórica", disse o líder dos Finlandeses Verdadeiros, Timo Soini. A boca de urna indicava que o governo conservador de centro-direita, que é favorável à União Europeia, conseguiria manter uma estreita maioria parlamentar.

O maior derrotado foi o Partido Centrista, da primeira-ministra Mari Kiviniemi. "Parece que tivemos uma derrota esmagadora", ela disse. Resultados totalizados deverão ser divulgados na segunda-feira. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Finlândiaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.