Toby Melville/REUTERS e Stefan Wermuth/REUTERS
Toby Melville/REUTERS e Stefan Wermuth/REUTERS

Conservadores e trabalhistas britânicos seguem empatados em novas pesquisas

Levantamentos mostram os dois partidos com 33% e 34% de apoio cada, o que deve forçar a formação de um governo de coalizão

O Estado de S. Paulo

05 de maio de 2015 | 10h48

LONDRES - Os conservadores do primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, e os trabalhistas de Ed Miliband seguem empatados nas últimas pesquisas sobre intenções de voto divulgadas nesta terça-feira, 5, dois dias antes das eleições gerais.

Um levantamento da "YouGov" coloca os "tories" e os trabalhistas com um apoio de 33%, enquanto outra da "Populus" situa estas duas formações majoritárias da Grã-Bretanha com um respaldo de 34%.


Os britânicos irão às urnas na quinta-feira para escolher os 650 deputados da câmara dos Comuns do Parlamento, mas tudo indica que nem conservadores e nem trabalhistas ganharão a maioria absoluta - 326 cadeiras.

Segundo as projeções da "YouGov", os trabalhistas teriam 276 cadeiras, enquanto os conservadores obteriam 272, números insuficientes para governar sozinho, o que obrigará os principais partidos a negociar alguma coalizão ou pacto com outros partidos menores para chegar a um número próximo à maioria absoluta.

O "YouGov" outorga ao eurofóbico Partido da Independência do Reino Unido (UKIP) de Nigel Farage um apoio de 12%, seguido dos liberais-democratas de Nick Clegg, com 10%, e o resto corresponde a outras formações.

No caso da consulta da "Populus", que não faz projeções sobre quantidade de cadeiras, o UKIP obteria 13% de apoio, seguido dos liberais-democratas, com 10%, e o resto para outros partidos. / EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.