Conservadores ganham popularidade na Grã-Bretanha

O líder do Partido Conservador, David Cameron, tem 13 pontos percentuais de vantagem na preferência dos britânicos sobre o trabalhista Gordon Brown, visto como o sucessor natural do primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Tony Blair. A informação é de uma pesquisa de intenções de voto publicada nesta terça-feira pelo jornal The Guardian.A pesquisa, feita pelo instituto ICM, mostra que 42% dos britânicos preferem ver o país governado por Cameron à frente dos conservadores. O político tem renovado o Partido Conservador com posições mais de centro e preocupações sociais.Já Brown, atual secretário das Finanças do governo britânico e grande favorito para assumir o governo quando Blair o deixar, ainda este ano, tem a preferência de 29% dos britânicos.O Partido Liberal-Democrata, terceira principal legenda do país, ficou com 17% das intenções de voto.Já sem citar os nomes dos políticos, a pesquisa revelou que os conservadores lideram a preferência dos britânicos por nove pontos percentuais em relação aos trabalhistas.No mês passado, os "tories" (conservadores) haviam ficado com 39% das intenções de voto; os trabalhistas, que governam o país desde 1997, com 31% e os "lib-dems" (liberal-democratas), com 19%.O Guardian diz que a pesquisa sugere que os conservadores podem obter a maioria nas próximas eleições gerais britânicas, que devem acontecer em 2009 ou 2010. O resultado é o melhor obtido pelos "tories" em uma pesquisa da ICM desde julho de 1992. CautelaNo entanto, analistas políticos advertiram sobre a inadequação de traçar um panorama genérico com base em uma única pesquisa. Segundo esses experts, os partidos governistas costumam ficar atrás nas pesquisas de meio de mandato, mas isso não significa que os conservadores venceriam as próximas eleições gerais, previstas para 2009.Uma "pesquisa das pesquisas" divulgada pelo jornal The Independent duas semanas atrás mostrou os conservadores com uma vantagem média de cinco pontos percentuais sobre os trabalhistas. Apesar do fraco desempenho de Brown, John Curtice, professor de política na Universidade Strathclyde, disse que nenhum membro dos trabalhistas tem poder suficiente para contestar a liderança dele. "Não há meios de alguém conseguir derrubar Gordon Brown", afirmou. IraqueBlair, que liderou os trabalhistas em três vitórias nas eleições gerais, deve deixar o cargo de premiê em junho ou julho, depois de uma década no poder. Como no regime parlamentarista é o partido mais votado que escolhe seu líder, uma mudança no comando do país não dependerá da realização de novas eleições. A popularidade dos trabalhistas ficou prejudicada pela guerra no Iraque e por um escândalo de financiamento de campanha. Ao mesmo tempo, os conservadores viram sua popularidade aumentar sob a liderança de Cameron, que tentou dar ao partido uma feição menos dura e mais preocupada com o meio ambiente.A pesquisa mostrou que a situação de Cameron não mudou apesar das recentes reportagens sobre o fato de ele ter consumido maconha quando era aluno de uma das escolas mais famosas da Grã-Bretanha, há 25 anos.BrownApesar de ter ganhado popularidade devido a sua atuação à frente da economia britânica, Brown - que completou 56 anos nesta terça-feira - enfrenta dificuldades em virtude de sua imagem sisuda.E, na qualidade de co-arquiteto do "Novo Partido Trabalhista" criado sob a liderança de Blair, o ministro das Finanças dificilmente conseguirá convencer os eleitores de que representa algo realmente inovador, afirmam analistas de política.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.