Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Raheb Homavandi/Reuters
Raheb Homavandi/Reuters

Conservadores vencem nas eleições parlamentares do Irã

Oposição boicotou votação e aliados do regime dos aiatolás conseguem maioria dos lugares

estadão.com.br

05 de março de 2012 | 09h06

TEERÃ - O Parlamento do Irã continuará amplamente dominado pelos conservadores aliados do aiatolá Ali Khamenei, apontam os resultados do primeiro turno das eleições legislativas realizadas no país persa, informa a agência AFP. De acordo com a apuração, os reformistas disporão de apenas 19 assentos na assembleia.

 

Veja também:

link'Independentes' devem manter força de Ahmadinejad

tabela ESPECIAL: Eleições no Irã

 

Dos 290 lugares, 224 foram definidos no primeiro turno. Os ocupantes de outros 63 assentos serão escolhidos em uma segunda ocasião, provavelmente em abril, de acordo com os números publicados pelo site do Parlamento. Restarão três cadeiras, cuja decisão ainda não está agendada.

 

A oposição ao regime dos aiatolás praticamente desapareceu no legislativo iraniano. O boicote dos grupos contrários ao governo nas eleições fizeram com que os reformistas conseguissem apenas 19 lugares. Antes, eram 60 os representantes opositores.

 

Não é possível medir, porém, o peso do apoio e da oposição ao presidente Mahmoud Ahmadinejad no novo Parlamento, uma vez que é bastante complexa a rede de alianças políticas e que vários "candidatos independentes" garantiram um lugar na casa legislativa.

 

Nenhuma das principais coalizões conservadoras que participaram das eleições, a Frente Unida dos Conservadores, alheios ao presidente, e a Frente da Persistência, aliados de Ahmadinejad, se impuseram sobre os rivais. O primeiro grupo, liderados pelo presidente do Parlamento, Ari Larijani, conseguiu 43 lugares, enquanto o segundo obteve apenas dez. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.