Constituição gera protestos no Marrocos

Dezenas de milhares de pessoas contrárias e favoráveis à nova Constituição do Marrocos realizaram protestos em todo o país hoje. Em Casablanca, maior cidade do país, simpatizantes do governo bloquearam e depois atacaram com pedras uma marcha de milhares de ativistas que defendem mais reformas, deixando várias pessoas feridas.

AE, Agência Estado

26 de junho de 2011 | 18h49

Na capital, Rabat, uma manifestação com cerca de 2 mil pessoas contrárias à nova Constituição foi bloqueada por tropas de choque da polícia e por simpatizantes do governo.

Depois de protestos em fevereiro, o rei Mohammed VI anunciou uma série de modificações na Constituição do Marrocos, que concedem mais poderes ao primeiro-ministro e ao parlamento e defendem os direitos humanos, a igualdade de gênero e a independência jurídica.

Ativistas pró-democracia, no entanto, disseram que a reforma foi insuficiente, visto que o rei ainda possui seu poder absoluto sobre o país.

A nova Constituição precisa ser aprovada pela população em um referendo em 1º de julho. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Marrocosprotestosconstituição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.