Constituição provisória já está em vigor na Tailândia

Já está em vigor na Tailândia a Constituição temporária que vai possibilitar a nomeação de um primeiro-ministro interino, anunciou a Junta Militar que governa o país desde o golpe que derrubou o premier Thaksin Shinawatra. O novo governante deve ser o general reformado Surayud Chulanont. O anunciou foi feito por meio da televisão estatal depois que, na noite de sábado, o rei Bhumibol Adulyadej sancionou as leis fundamentais propostas pela Junta Militar que controla o país desdeo golpe de 19 de setembro. Após o golpe de Estado, a Junta Militar, liderada pelo chefe do Exército Sonthi Booyaratglin, assinalou a necessidade de redigir uma nova CartaMagna para remediar os defeitos da aprovada em 1997. As primeiras iniciativas da Junta Militar ao tomar o poder foram anular a Constituição, declarar a lei marcial, proibir as atividadespolíticas, incluídas as dos partidos legalmente constituídos, e impor à imprensa estritas medidas de censura. A Constituição de 1997 foi redigida e aprovada com o propósito de prevenir a corrupção e dar transparência à gestão do governo. O general Sonthi e outros membros da Junta Militar que preside, afirmaram que o golpe de Estado foi uma resposta à corrupção no governo e "ao contínuo abuso de poder exercido por Shinawatra duranteos mais de cinco anos em que esteve à frente do país". A Junta Militar deve anunciar neste domingo o nome do primeiro-ministro interino que, segundo assegurou, administrará o país até aseleições legislativas, previstas para outubro de 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.