Cônsul honorário preso com carro roubado

O cônsul honorário da Turquia no Recife, Edvard Lira Cavalcante Júnior, 43 anos, foi preso em flagrante ontem por receptação de carro roubado e adulteração da placa do veículo. De acordo com o delegado de Repressão ao Roubo e Furto de Veículos, Evaristo Ferreira Neto, o Mercedes-Benz do cônsul não era cadastrado no órgão de trânsito do Estado e havia sido roubado no Rio de Janeiro em 1999. A placa CD (Corpo Diplomático) 2682 não tinha autorização do Ministério das Relações Exteriores nem da Polícia Federal. Cônsul honorário é um cargo de confiança nomeado pelo país a ser representado e não possui status de diplomata. O delegado informou que Cavalcante Júnior responde a três processos administrativos, em que a vítima é o Estado de Pernambuco, um deles por sonegação de impostos. Evaristo Ferreira Neto enviou ontem cópia do auto de prisão e da ficha de antecedentes criminais do cônsul honorário à embaixada da Turquia no Brasil e foi informado pelo assessor da embaixada, Douglas Gomes, que somente os cônsules de carreira, adidos e embaixadores possuem imunidade diplomático e têm o direito de usar a placa de faixa azul com as letras CD, típica do corpo diplomático em seus veículos. Estes direitos não se estendem aos cônsules honorários. Cavalcanti Júnior não tinha a documentação do carro e reconheceu, segundo o delegado, "ter sido precipitado" em colocar a placa do corpo diplomático sem autorização. Ele disse à polícia ter comprado o carro há 15 dias, no Rio, a uma pessoa com quem mantinha relações comerciais há 15 anos. O pagamento, de R$ 80 mil, só seria efetuado quando recebesse a documentação, o que ainda não ocorreu. Segundo o delegado, ele disse ter sido uma vítima no caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.