SEDAT SUNA/Efe
SEDAT SUNA/Efe

Consulado dos EUA e delegacia são atacados na Turquia

Segundo o governo turco, mulheres pertencentes a grupo radical marxista atirou contra o prédio diplomático e PKK explodiu um carro-bomba perto de delegacia; atentados ocorreram em Istambul 

O Estado de S. Paulo

10 de agosto de 2015 | 09h01

(Atualizada às 10h30) ISTAMBUL - Um atentado contra o prédio do consulado dos EUA em Istambul, Turquia, nesta segunda-feira, 10, terminou em tiroteio com ao menos uma pessoa ferida. Segundo o gabinete do governador da cidade, duas mulheres começaram a atirar contra o prédio e uma delas foi ferida após o tiroteio.

A polícia informou ter prendido uma das duass atiradoras. A mulher foi encontrada escondida em um prédio perto do consulado americano. Segundo a embaixada americana no país, nenhum integrante do corpo diplomático ficou ferido no atentado.

Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque, mas o governo turco atribui a ação a um grupo radical marxista. "O ataque ao consulado está ligado ao DHKP-C", afirmou um funcionário do governo à agência AFP.

O grupo, Frente Libertação do Povo Revolucionário, reivindicou em 2013 um atentado contra a Embaixada dos EUA em Ankara. 

Sequência. O ataque ocorreu horas depois de um atentado com carro-bomba contra uma delegacia de Istambul, quando ao menos 5 pessoas morreram  e 10 ficaram feridas. O ataque causou um incêndio e a queda de parte do prédio.

Após a explosão do carro-bomba, homens atiraram contra policiais que inspecionavam o local. Segundo o governo local, 4 integrantes do PKK e um policial morreram.

O funcionário do governo turco atribuiu o ataque à delegacia ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). / AFP, AP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.