Consulado dos EUA em Hong Kong pede 'moderação'

O Consulado dos Estados Unidos e a Câmara Americana de Comércio em Hong Kong pediram "moderação", após um fim de semana de confrontos entre milhares de manifestantes pró-democracia e a polícia na cidade. Os agentes de segurança usaram spray de pimenta e gás lacrimogêneo para dispersar a multidão pró-democracia em várias partes da cidade.

AE, Estadão Conteúdo

29 de setembro de 2014 | 11h13

"Nós encorajamos todos os lados que evitem ações que possam elevar ainda mais as tensões, que exerçam a moderação e expressem pontos de vista sobre o futuro político [de Hong Kong] de forma pacífica", disse o Consulado dos EUA em um comunicado, ressaltando que os norte-americanos apoiam a liberdade pacífica de reunião, de expressão e imprensa em Hong Kong.

"Nós não tomamos partido na discussão do desenvolvimento político de Hong Kong, nem apoiamos nenhum indivíduo em particular ou grupos envolvidos neste processo", acrescentou o comunicado.

A Câmara de Comércio Americana pediu que todas as partes "busquem vigorosamente discussões construtivas". O grupo disse que "incentiva um retorno à estabilidade habitual nas ruas e nas operações de negócios".

Hong Kong tem sido tradicionalmente conhecido pelo seu ambiente pró-negócios, com pouca interferência do governo. No entanto, a política está vindo cada vez mais à tona na cidade. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Hong KongProtestosEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.