Contador quer provar ser filho da princesa Margaret

Robert Brown, contador de 51 anos que afirma ser filho da princesa Margaret da Inglaterra, que morreu em 2002, levouo caso aos tribunais para provar a veracidade de sua história, segundo informações desta quarta-feira divulgadas pela imprensa londrina.Brown quer ter acesso aos testamentos da princesa Margaret e da rainha mãe para mostrar que é filho da irmã de Elizabeth II e, portanto, 12º na linha de sucessão à Coroa britânica.O contador, que nasceu no Quênia, em 1955, compareceu naterça-feira em um tribunal de Londres na presença dos advogados da rainha, o escritório Farrer & Co., em audiência fechada ao público na qual foram estabelecidos o calendário e os próximos procedimentos.Na saída do tribunal, Brown disse que o juiz não rejeitou sua reivindicação e que o caso seguirá adiante.ProvasO contador reconheceu que as provas de sua ligação com a família real britânica são "limitadas", fez referência a fotos da princesa Margaret em uma viagem a Nairóbi, em janeiro de 1955, que coincide com a data de seu nascimento.Além disso, Brown, cuja mãe reconhecida se chama Cynthia Joan Brown, uma modelo que trabalhava para um alfaiate da rainha, disse que as fotos da princesa durante 1954 são "inconsistentes".Brown observou que, nas fotos tiradas em 1955, observa-se que os vestidos da princesa Margaret "são cada vez mais amplos". Ele acrescenta que, por volta da data de seu nascimento, informações mostram que a irmã da rainha Elisabeth II teve que ficar em repouso devido a uma tosse seca e aguda.Brown mostrou sua disposição em fazer exames de DNA para mostrar a veracidade de sua história, mas a proposta já foi rejeitada pelo palácio de Buckingham, residencial oficial de Elizabeth II.Fontes oficiais do palácio se recusaram a fazer comentários sobre o assunto. Caso ganhe a causa, Brown poderia ter direito a parte da herança da princesa, que morreu em 2002 devido a um ataque de apoplexia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.