Contagem inicial dá estreita vantagem a Karzai no Afeganistão

Presidente, que busca reeleição, tem 40% de votos contra 38% de 2º colocado.

BBC Brasil, BBC

25 de agosto de 2009 | 13h15

A comissão eleitoral do Afeganistão começou nesta terça-feira a divulgar os resultados parciais das eleições presidenciais da semana passada, indicando uma ligeira vantagem ao atual presidente, Hamid Karzai.

Com 10% das urnas apuradas, Karzai recebeu 40,6% dos 524 mil votos, cerca de dois pontos percentuais a mais que o seu principal adversário, o ex-ministro do Exterior Abdullah Abdullah.

Outros dois candidatos, Ramazan Bashardost e Ashraf Ghani Ahmadzai, vêm bastante atrás, com cerca de 10% e menos de 3% dos votos, respectivamente.

Para evitar um segundo turno em outubro, é preciso que um dos candidatos atinja 50% da preferência do eleitorado. A contagem final levará semanas para ser concluída.

O repórter da BBC em Cabul Martin Patience disse que os resultados provêm de urnas de diferentes partes do país, mas não indicam necessariamente a composição do resultado final.

Apenas 2% dos votos na província de Candahar foram contados, e ainda não foram divulgados os resultados de Helmand. Analistas esperam um bom resultado de Karzai nas duas regiões.

Acusações de fraude

Após a votação, os dois principais candidatos se acusaram mutuamente de fraude.

Cerca de 800 casos ainda estão sendo analisados pela comissão eleitoral, dos quais 54 estão sendo apontados como muito graves.

O enviado americano para o país, Richard Holbrooke, disse que Washington esperará o fim das investigações antes de se pronunciar sobre o pleito.

Líderes internacionais qualificaram as eleições de "sucesso", mas disseram que é preciso investigar as queixas de corrupção antes de declarar o resultado legítimo.

Comparecimento

As estatísticas sugerem que o comparecimento - uma das questões-chave do pleito - foi de cerca de 35%, menos da metade do verificado nas primeiras eleições, em 2004.

Antes e durante o processo eleitoral, forças de segurança afegãs e internacionais se mobilizaram para tentar garantir o comparecimento dos votantes, em meio a ameaças do Talebã dirigidas a todos aqueles que fossem às urnas.

Mais de 400 ataques insurgentes foram registrados no dia da votação, segundo a força internacional sob comando da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) que atua no país.

Antes da divulgação dos primeiros resultados, o principal opositor de Karzai pediu calma aos seus simpatizantes.

"Peço aos afegãos que sejam pacientes e demonstrem responsabilidade", afirmou Abdullah Abdullah. "Acho que ninguém quer recorrer à violência." BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
afeganistãoobamacabulkarzaiabdullah

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.