Contaminação em carne de porco leva 7 à prisão na China

Um tribunal chinês condenou sete pessoas por venderem substâncias químicas ilegais a suinocultores, disse a agência estatal de notícias Xinhua na quinta-feira, em mais uma medida envolvendo um caso de ameaça alimentar no país.

REUTERS

11 de agosto de 2011 | 09h39

A sentença foi proferida na terça-feira. Há duas semanas, a Justiça chinesa havia imposto condenações mais duras -- inclusive uma pena de morte com sursis -- a cinco pessoas envolvidas na produção e venda de carne de porco contaminada com a substância clenbuterol.

Os sete novos condenados vendiam clenbuterol a suinocultores desde 2009. Eles foram condenados também a multas de 1 mil a 28 mil yuans (156 a 4.368 dólares).

O clenbuterol torna a carne mais magra, o que tem maior valor no mercado da China, que é o maior produtor e consumidor mundial de carne de porco. O consumo excessivo da substância pode causar tremores musculares, náusea, dor de cabeça e irritação gástrica.

Contaminações alimentares são habituais na China, apesar das reiteradas promessas de fiscalização do governo e das duras penas aos responsáveis. Em 2008, pelo menos seis crianças morreram e 300 mil adoeceram devido ao consumo de leite contaminado por produtos químicos.

(Reportagem de Sui-Lee Wee)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINAPORCOPRESOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.