Contas públicas da Itália estão em ordem, diz ministro

O ministro da Economia da Itália, Fabrizio Saccomanni, tentou diminuir os temores dos investidores em uma entrevista para um jornal antes da abertura dos mercados na segunda-feira, dizendo que as contas públicas do país estão em ordem, apesar dos riscos de o país não conseguir atingir uma meta importante para o déficit como resultado de sua crise política.

Agência Estado

29 de setembro de 2013 | 09h54

Um dia após o governo vivenciar um caos com a renúncia de ministros do partido Povo da Liberdade (PDL), de centro-direita, Saccomanni afirmou ao jornal italiano Il Sole 24 Ore que o país tem até o fim do ano para aprovar as medidas orçamentárias exigidas para cumprir uma promessa feita à União Europeia de manter seu déficit abaixo de 3% do Produto Interno Bruto (PIB).

"A lei do orçamento (2014) é obrigatória", afirmou o ministro. "Nós não podemos evitá-la. Um governo fará isso. Vamos esperar e ver o desdobramento da situação política, mas não há razão para que isso não seja feito."

Em uma reunião final na sexta-feira, o Gabinete não conseguiu aprovar as medidas de cerca de 3 bilhões de euros (US$ 4 bilhões) para ajudar a cumprir a meta de déficit de 3% do PIB. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
ITÁLIAMINISTROCONTAS PÚBLICAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.