Contato italiano de Litvinenko será ouvido pela Justiça

O contato italiano do ex-agente russo assassinado Alexander Litvinenko será interrogado nesta quarta-feira em uma prisão de Roma, onde está sendo mantido por acusação de difamação, informou seu advogado. Mario Scaramella foi detido no aeroporto de Nápoles, no domingo, depois de voltar para a Itália para o Natal. Ele estava em um hospital de Londres desde que teve testes positivos para a substância radioativa que matou Litvinenko, no mês passado. Scaramella foi uma das últimas pessoas a se encontrar com o russo no dia em que ele começou a sentir mal. O advogado disse que Scaramella planeja cooperar com promotores, que incluíram o nome dele em investigações sobre tráfico de armas e violação de regras de segredo enquanto trabalhava como consultor parlamentar sobre espionagem na era da Guerra Fria. Segundo o advogado Sergio Rastrelli, a acusação de difamação refere-se a uma autoridade ucraniana que Scaramella havia ligado a um plano contra sua vida e a do senador Paolo Guzzanti, presidente da comissão parlamentar que estuda espionagem soviética. "A suspeita pela qual o senhor Scaramella foi detido refere-se a uma (antiga) autoridade dos serviços secretos da Ucrânia soviética", afirmou Rastrelli à Ski TV da Itália. Guzzanti disse acreditar que a prisão esteja ligada a informações passadas por Scaramella a autoridades italianas sobre granadas contrabandeadas para a Itália por uma grupo de ucranianos. Mas jornais italianos disseram que os promotores suspeitam que Scaramella inventou o complô.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.