Continua pressão para que Bush mude equipe econômica

O presidente dos EUA, George W. Bush, continua sendo pressionado por democratas e até por conselheiros republicanos para fazer alterações em sua equipe econômica. O grupo atual é alvo de críticas por suas abordagens desastradas e pela inabilidade em restaurar a confiança em Wall Street, da comunidade empresarial e dos eleitores, informa a edição desta segunda-feira do The New York Times. Bush também tem administrado as intensas críticas em relação ao presidente da Securities & Exchange Commission, Harvey L. Pitt. Os republicados com ligações com a Casa Branca declararam que Lawrence B. Lindsey, diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca e um dos conselheiros econômicos mais próximos de Bush, poderia deixar o posto até o fim do ano, embora um funcionário do alto escalão da administração tenha negado a informação.O jornal destaca ainda que outro funcionário disse que os rumores sobre a saída de Lindsey já duram um ano e nada ocorreu até o momento. De acordo com a matéria, o presidente do Council of Economic Advisers, R. Glenn Hubbard, disse para pessoas de dentro e de fora da Casa Branca que estaria considerando a possibilidade de voltar a dar aulas. Hubbard era professor de Economia na Universidade de Columbia antes de integrar a administração federal. Segundo o NYT, um porta-voz de Hubbard negou-se a comentar o rumor. As informações foram retransmitidas pela Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.