EFE/Presidência do México
EFE/Presidência do México

Contra projeto nucelar, México expulsa embaixador norte-coreano

Governo deu 72 horas para Kim Hyong-gil deixar o território; país tem tomado medidas mais robustas no âmbito da diplomacia

AP e EPA Yonhap, O Estado de S.Paulo

08 Setembro 2017 | 01h46

Cidade do México - O governo mexicano decidiu expulsar na quinta-feira, 7, o embaixador da Coreia do Norte que estava no país latino, como uma forma de protesto ao projeto nuclear do regime de Kim Jong-un, que lançou o sexto teste nuclear no domingo, 3

O governo mexicano declarou o embaixador Kim Hyong-gil "persona non grata" e lhe concedeu 72 horas para sair do país, afirmou o  Ministério de Assuntos Exteriores mexicano em um comunicado. 

"A atividade nuclear da Coréia do Norte é um sério risco de paz e segurança internacional e representa uma ameaça crescente para as nações da região, incluindo aliados fundamentais do México, como Japão e Coréia do Sul", afirmou o governo. No entanto, apesar da expulsão do diplomata norte-coreano, um funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros observou que o governo do presidente Enrique Pena Nieto não determinou a quebra  dos laços diplomáticos com a Coréia do Norte.

Tradicionalmente, o México procura evitar desavenças diplomáticas, mas nos últimos meses adotou uma postura mais assertiva para condenar os governos da Venezuela e da Coréia do Norte, à medida em que eles começaram a se isolar do cenário internacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.