Contra sanções, BC do Irã fala em cortar importações

O governador do Banco Central (BC) do Irã está pedindo por um corte nas importações para alavancar a produção doméstica à medida que o país sofre com sanções econômicas mais duras aplicadas por causa do seu programa nuclear. Quatro rodadas de sanções do Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) e penalidades separadas impostas pelos Estados Unidos e seus aliados europeus atingiram a economia do Irã, enquanto o país luta com uma inflação alta e o desemprego.

AE-AP, Agência Estado

24 de agosto de 2010 | 21h02

O governador do Banco Central iraniano, Mahmoud Bahmani, disse que o país deveria limitar as importações a "mercadorias de primeira necessidade" para ajudar a impulsionar a produção doméstica, informou hoje o jornal estatal Iran. "As importações deveriam ser reduzidas", disse Bahmani. "Em outras palavras, não deveríamos permitir a importação de qualquer tipo de produto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.