Controladores de vôo franceses aderem à greve

Os controladores de tráfego aéreo da França cruzaram os braços nesta terça-feira, aderindo ao protesto nacional dos servidores públicos, o que forçou as companhias a cancelarem centenas de vôos. Além dos controladores de vôo, funcionários dos serviços postais, transporte, hospitais e de empresas públicas de abastecimento e fornecimento também aderiram à paralisação convocada para pressionar por melhorias salariais, benefícios para a aposentadoria e pela suspensão dos planos de privatização do governo. Apenas um em cada cinco vôos programados para esta manhã partia dos aeroportos de Orly e Charles de Gaulle, nos arredores de Paris, com as rotas de curta e média distâncias sendo as mais afetadas. Cerca de 100 vôos estavam programados para sair de Orly nesta manhã e outros 300 deveriam decolar do Charles de Gaulle.Em razão da greve, a companhia aérea espanhola Iberia SA e sua franquia Iberia Regional/Air Nostrum cancelaram 37 vôos entre a Espanha e França, com exceção dos primeiros dois vôos: Paris/Madri e Paris/Barcelona. Contudo, esses dois vôos serão cancelados amanhã, informou a Iberia em comunicado.A greve nacional está prevista para durar 32 horas e só deve terminar amanhã cedo. O poderoso sindicato CGT ajudou a organizar a paralisação, que tem por objetivo maior protestar contra os planos da administração de centro-direita do primeiro-ministro Jean-Pierre Raffarin de privatizar ou vender participações em empresas públicas para levantar recursos. Ontem, caminhoneiros já tinham realizado dezenas de bloqueios nas rodovias francesas em protesto contra os baixos salários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.