Convenções marcam diferença entre partidos

Entre democratas, predominaram camisetas com mensagens; republicanas preferem terninhos

Patrícia Campos Mello, Saint-Paul, EUA, O Estadao de S.Paulo

05 de setembro de 2008 | 00h00

Republicanos e democratas vivem em universos diferentes - pelo menos, essa é a impressão que passam as convenções dos dois partidos. O público predominante da Convenção Republicana é de brancos, pessoas com mais de 60 anos - muitos em cadeira de rodas ou andadores -, veteranos de guerra e mauricinhos em geral. Já a Convenção Democrata teve como público negros, hispânicos , jovens, mulheres e celebridades. A republicana foi apelidada de "convenção do pigarro" - oradores como o senador Joe Lieberman e Fred Thompson pigarreiam ao final de cada frase. Já na Convenção Democrata, grande parte dos discursos soa como sermão de pastor evangélico e quase todos tentam imitar Martin Luther King. A moda na Convenção Republicana, para as mulheres, era o look Sarah Palin - um coque fofo no topo da cabeça, com franja. Loiras platinadas em terninhos de cores vivas se multiplicavam no salão. Na democrata, predominaram a chapinha ou penteados afro e camisetas com slogans pacifistas. Enquanto na republicana as pessoas usavam peças de roupa com a bandeira dos EUA, o elefante (símbolo do partido) ou o nome de McCain. O estilo democrata foi mais personalista: "obametes" optaram por camisetas com desenhos e fotos de Obama.Teresa Stayer caprichou no figurino para participar da Convenção Republicana. Chegou usando um chapéu de lantejoulas com a bandeira americana, uma pulseirinha com a inscrição pró-vida (palavra-chave dos inimigos do direito ao aborto), outra pulseira com frases da Bíblia e um broche "católicos por McCain". "Obama me assusta, ele é marxista, quer que todo mundo seja igual, quer tirar dinheiro de empresários e dar aos pobres", diz Teresa, que é casada, tem 4 filhos e uma microempresa em Michigan. Já Marcia Williams, "obamete" de carteirinha, usava uma camiseta com a foto de seu ídolo na capa da revista Time e pulseirinha com a inscrição "hope" (esperança), um dos slogans da campanha.As palavras-chave também são diferentes. Quer aplauso garantido entre republicanos? Inclua no discurso "patriotismo" ou "família". "McCain acredita na santidade da vida desde a concepção", disse Tommy Espinoza, amigo de McCain, diante de aplausos entusiasmados. "Ele acredita na santidade do casamento e da vida em família." Vivas. Na democrata, o segredo é dizer, "esperança", "mudança" - temas da campanha de Obama - ou "fim da guerra".No quesito musical, a Convenção Democrata deu de dez na republicana: teve a presença de Stevie Wonder, Sheryl Crowe, John Legend e Will.i.am do Black Eyed Peas. Já a convenção republicana teve Gretchen Wilson e uma miscelânea de cantores country.Como diz um dos slogans da revista conservadora Human Events, "primeiro liberte o Iraque, depois recupere Hollywood". Mais de 90% dos atores de Hollywood são democratas e fazem campanha ativamente. Entre as poucas celebridades republicanas estão os atores Jon Voight, Robert Duvall e Gary Sinise - que narraram vários dos vídeos da convenção de Saint-Paul. A Fox News é a TV preferida dos republicanos - e a única na qual confiam. "Ainda não vi o que a Fox News falou, então não vou comentar", disse o delegado Harold Hough, do Arizona, sobre a gravidez da filha de Sarah Palin. Na democrata, são a NBC e CNN que dominam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.