Cópias da Carta Magna inglesa são expostas depois de 800 anos

Quatro cópias da Carta Magna daInglaterra, considerada um dos documentos mais importantes dahistória da democracia, serão expostas na semana que vem pelaprimeira vez em quase 800 anos. As quatro -- três datadas de 1217 e uma de 1225 --pertencem à biblioteca Bodleiana, da Universidade de Oxford, erepresentam quase um quarto de todos os manuscritos da CartaMagna remanescentes no mundo. "Essas três cartas de 1217 são uma coleção histórica semigual", disse a bibliotecária Sarah Thomas. "Nenhumainstituição possui tamanha concentração da Carta Magna." A Carta Magna, do século 13, foi assinada pelo rei João emRunnymede, perto de Windsor, em 1215, sob a forte pressão debarões rebelados, que tinham tomado Londres em protesto contraa arbitrariedade do monarca. Em troca das concessões garantidas na carta, que na práticaasseguravam aos barões seus direitos feudais, os barõesprometiam fidelidade ao trono inglês. Foi a primeira vez que umdocumento atestou por escrito que o poder do monarca tinhalimitações, e portanto ele é considerado um dos pilares dademocracia, embora as leis feudais pouco tenham a ver comdireitos igualitários. Existem apenas quatro cópias da carta original de 1215, eduas pertencem à Biblioteca Britânica. Mas o documento foireemitido regularmente, e, entre as datadas do século 13,existem apenas 17 exemplares. (Reportagem de Jeremy Lovell)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.