Coréia ameaça fazer guerra nuclear em caso de ataque dos EUA

O anúncio dos Estados Unidos de que um deseus aviões de reconhecimento foi interceptado por jatos deguerra norte-coreanos agravou as tensões na Península Coreana,num momento em que há o temor de que a Coréia do Norte possaestar em condições de fabricar bombas nucleares em questão demeses. A Coréia do Norte não comentou o incidente. Sua mídia oficialinformou apenas que o que chamou de exercício militar americano-sul-coreanoera "a preparação de um ataque". As manobras, que vêmsendo efetuadas desde 1961, terminam em 2 de abril. "Este exercício está intensificando o perigo deenfrentamentos armados na Península Coreana", advertiu o jornalnorte-coreano Minju Joson. "Se a águia (referência às forças armadas americanas) nos atacar, deflagraráuma guerra nuclear e é evidente que toda a nação coreana nãoescapará ao holocausto atômico", afirmou o diário, que foicitado pela agência de notícia sul-coreana Yonhap. Um porta-voz do Pentágono disse, ontem à noite, que quatroaviões norte-coreanos se aproximaram no domingo de um aviãoamericano sobre o Mar do Japão. Um deles teria utilizado seuradar para identificar o aparelho americano com alvo, mas nãohouve disparos, informou em Washington o tenente Jeff Davis. Este foi o primeiro incidente deste tipo desde abril de 1969,quando um avião norte-coreano derrubou um avião dereconhecimento EC-121 dos Estados Unidos e matou todos os 31americanos a bordo, disse Davis. Em uma entrevista a jornalistas em Washington, o presidenteamericano, George W. Bush, reiterou sua posição de que asituação possa ser resolvida por via diplomática. De acordo comBush, a opção militar não foi abandonada, mas seria o últimorecurso para lidar com a Coréia do Norte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.