Coréia do Norte abandona Tratado de Não Proliferação Nuclear

A Coréia do Norte se retirou do tratado global de controle de armas nucleares, informou nesta sexta-feira a agência oficial de notícias norte-coreana KCNA. A Emissora Central de Rádio norte-coreana transmitiu o comunicado do governo no qual o estado comunista se retira do Tratado de Não Proliferação Nuclear. A agência oficial de notícias coreana disse em um comunicado que ?não tem intenção de produzir armas nucleares e que as atividades nucleares atuais têm propósitos pacíficos como a produção de energia.? A decisão é uma represália a resolução da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA). Para o governo sul-coreano, os termos da resolução da IAEA ?é um grave atentado contra sua soberania e contra a dignidade da nação coreana.? A Coréia do Norte assinou o Tratado em 1985, retirando-se em 1993. Um ano depois, o país aceitou desativar a usina de Yongbyon após um acordo de combustíveis com Washington. Em dezembro de 2002, o país já tinha ameaçado se retirar do Tratado de Não Proliferação e responsabilizou os Estados Unidos pela ruptura do acordo de 1994, no qual aceitava paralisar seu programa nuclear.Um responsável da Embaixada sul-coreana em Pequim afirmou que o país poderia repensar sua decisão caso os Estados Unidos voltasse a fornecer petróleo para a Coréia do Norte. No mês passado, a Coréia reativou seu reator nuclear de Yongbyon para suprir as necessidades de energia.Após o anúncio, o governo russo manifestou sua "profunda preocupação" com a decisão norte-coreana, mas acredita que a decisão não será definitiva. O primeiro-ministro japonês, Junichiro Koizumi, que visita a Rússia, declarou que "lamenta muito" a posição da Coréia do Norte e pediu ao governo de Kim Jong II que cancele a medida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.