REUTERS/Leah Millis
REUTERS/Leah Millis

Coreia do Norte acusa Estados Unidos de 'políticas hostis' e recua em negociações de acordo nuclear

Ministério das Relações Exteriores de Pyongyang divulgou comunicado pondo em xeque as discussões realizadas na Suécia; Estados Unidos afirma que diálogo 'está bom' e que discurso da Coreia não reflete espírito das negociações

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2019 | 10h07

A Coreia do Norte afirmou neste domingo, 06, que " "não quer manter negociações desagradáveis" sobre seu programa nuclear se os Estados Unidos não avançarem para pôr fim a suas "políticas hostis". As informações são da agência oficial norte-coreana KCNA, citando uma declaração do Ministério das Relações Exteriores de Pyongyang.

 

 

As discussões na Suécia seguiram meses de estagnação após uma reunião em fevereiro entre o líder norte-coreano Kim Jong Un e o presidente americano Donald Trump. A Coreia do Norte se afastou das negociações, que ocorreram após o desafiador teste de Pyongyang de um míssil balístico lançado do mar na quarta-feira, 02, dizendo que estava decepcionado com a falta de soluções "novas e criativas" oferecidas por Washington.

Por outro lado, Washington classificou as negociações de "boas", dizendo que os comentários da Coreia do Norte não refletiam o conteúdo ou o espírito da discussão que durou oito horas e meia. Os Estados Unidos aceitaram o convite da Suécia para retomar as negociações dentro de duas semanas, segundo a porta-voz do departamento de estado Morgan Ortagus.

Trump e Kim adotaram um documento vagamente redigido sobre a "desnuclearização completa da península coreana" em sua primeira cúpula em junho do ano passado, mas pouco progresso foi feito desde então. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.