Coréia do Norte acusa Sul de provocações militares

A Coréia do Norte acusou a Coréia do Sul de transportar armas ilegais para as proximidades da zona desmilitarizada entre os dois países e enviar navios de guerra para uma breve incursão em suas águas territoriais, aumentando a tensão na fronteira mais armada do planeta. O Ministério da Defesa da Coréia do Sul alegou que as acusações carecem de fundamentos.A agência de notícias KCNA, pertencente ao governo norte-coreano, informou que 11 navios sul-coreanos invadiram duas vezes águas territoriais da costa ocidental, nesta terça-feira. Em outro despacho, a KCNA informou que o vizinho do sul deslocou um veículo blindado e duas armas autopropulsionadas para o interior da faixa desmilitarizada de quatro quilômetros que separa os dois países.Ainda de acordo com a KCNA, um tanque e três veículos blindados foram levados ontem à área. Além disso, manobras com tanques teriam sido realizadas ali entre os dias 1º e 5 de novembro. As acusações vêm à tona num momento no qual prosseguem as preocupações com o programa de armas nucleares mantido pelo regime de Pyongyang.Os Estados Unidos vêm tentando impor pressão internacional sobre a Coréia do Norte, para que seu governo abandone o recém-descoberto programa de armas nucleares. Pyongyang afirmou que atenderá às preocupações norte-americanas se Washington assinar um tratado de não-agressão.A Coréia foi dividida em dois países em 1945. Desde então, as duas Coréias compartilham a fronteira mais armada do mundo. Um armistício assinado após o fim da Guerra da Coréia, travada entre 1950 e 1953, permite apenas a existência de rifles e armas de pequeno porte na zona desmilitarizada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.