Coréia do Norte adverte sobre sanções contra o país

A Coréia do Sul anunciou nesta quarta-feira que constituiu uma força-tarefa para definir como implementar sanções aprovadas pela ONU contra a Coréia do Norte. A nação comunista reagiu advertindo que tomará "medidas correspondentes" a uma eventual "declaração de confronto".O Conselho de Segurança da ONU adotou por unanimidade uma resolução impondo sanções à Coréia do Norte por seu teste nuclear de 9 de outubro, mas a Coréia do Sul - um grande provedor de ajuda para o empobrecido Norte - tem sido relutante em adotar as duras medidas contra seu volátil vizinho.A resolução da ONU de 14 de outubro pedia para que todos países membros declarassem como planejam implementar as sanções contra Pyongyang num prazo de 30 dias.A força-tarefa de Seul realizou seu primeiro encontro na terça-feira, informou o vice-chanceler Lee Kyu-hyung. Mas Pyongyang advertiu que qualquer iniciativa de Seul para impor sanções comerciais, financeiras e de viagens será vista como uma "declaração de confronto" a ser respondida com "medidas correspondentes". As sanções, acrescentou, levariam ao colapso das relações entre os dois países."Se as relações Norte-Sul entrarem em colapso devido a sanções temerárias e imprudentes contra nós, as autoridades sul-coreanas serão totalmente responsáveis e terão de pagar um alto preço por isso", anunciou num comunicado o Comitê Nortista para a Reunificação Pacífica da Terra Pátria, segundo a Agência Central de Notícias Coreana.Como implementar as sanções tem provocado divergências entre os Estados Unidos e a China, o último grande aliado de Pyongyang. Pequim votou a favor da resolução da ONU e garantiu que cumpriria suas obrigações, mas está preocupado que medidas excessivas poderão piorar a situação.Em Moscou, nesta quarta-feira, o presidente Vladimir Putin advertiu que a pressão contra a Coréia do Norte pode ser contraproducente."Ninguém deveria levar a situação a um impasse, ninguém deveria jamais colocar um dos lados numa negociação numa posição que ele não tem virtualmente outra saída que não seja uma escalada da situação", disse ele, respondendo perguntas na tevê nacional.Na sua primeira confirmação oficial de que Pyongyang verdadeiramente realizou um teste nuclear, o Ministério da Ciência e Tecnologia da Coréia do Sul afirmou nesta quarta que xenônio - um gás nobre emitido quando ocorre uma explosão nuclear - foi encontrado em amostras de ar colhidas na Coréia do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.