Coréia do Norte alerta sobre possibilidade de guerra

Militares norte-coreanos desfilaram nesta sexta-feira para celebrar antecipadamente o aniversário do líder totalitário Kim Jong Il, que completará 60 anos amanhã, ao mesmo tempo em que exigem um aumento na vigilância depois da condenação feita pelo presidente dos EUA, George W. Bush, contra a nação comunista.A Coréia do Norte realizou um "encontro nacional" em Pyangyang, onde Kim Yong Nam, o número 2 do país, fez um discurso sobre os assuntos nacionais. "Por causa da arrogância e do comportamento insolente dos Estados Unidos, aumenta a cada dia o perigo de uma guerra na Península Coreana", disse Kim durante o encontro, que foi acompanhado pela mídia sul-coreana. "Se os imperialistas norte-americanos e seus seguidores provocarem uma guerra nesta terra, isso representará a destruição final deles".Os líderes norte-coreanos já haviam proferido discursos ameaçadores desde a fala de Bush, em 29 de janeiro, durante a qual o presidente dos EUA afirmou que a Coréia do Norte, o Irã e o Iraque formavam o "eixo do mal". Durante a viagem à Coréia do Sul, programada para a próxima semana, Bush visitará a "zona desmilitarizada", uma área fortemente armada entre as duas Coréias, em um gesto que expressará tanto a oposição ao tráfico de mísseis feito pelo regime comunista como a disposição de resolver os problemas através do diálogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.