Coreia do Norte ameaça EUA e Seul

Regime de Pyongyang promete reagir contra exercícios militares conjuntos

O Estado de S. Paulo,

08 de outubro de 2013 | 09h40

SEUL - O governo da Coreia do Norte informou nesta terça-feira, 8, que suas Forças Armadas seriam colocadas em alerta máximo e estarão de prontidão, em uma escalada retórica contra a Coreia do Sul e os Estados Unidos.

Pyongyang emite frequentemente ameaças de atacar o Sul e os Estados Unidos, mas raramente as transformou em ação. Na última declaração, um porta-voz militar do Norte advertiu os EUA para "consequências desastrosas" devido à movimentação de um grupo de navios, incluindo um porta-aviões, em um porto sul-coreano.

"Neste contexto, as unidades de todos os serviços e níveis do Exército receberam uma ordem de emergência de seu comando supremo para reexaminar os planos de operação já ratificados por ele e para manterem-se totalmente prontas para rapidamente lançar operações a qualquer momento", disse um porta-voz do Exército

"Os EUA vão ser totalmente responsáveis pelo desastre horrível", acrescentou o porta-voz em um comunicado divulgado pela agência oficial de notícias KCNA.

Em março, a Coreia do Norte declarou que não estava mais vinculada ao armistício que encerrou os combates na Guerra da Coreia de 1950-53, assinado com os Estados Unidos e a China, ameaçando usar armas nucleares para atacar os territórios da Coreia do Sul e dos EUA.

A Coreia do Norte desafiou advertências internacionais de não construir mísseis nucleares e de longo alcance e acredita-se que tenha material físsil suficiente para construir até 10 bombas nucleares.

Tudo o que sabemos sobre:
coreiasnuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.