Coréia do Norte ameaça interromper diálogo com os EUA

A Coréia do Norte ameaçou hoje interromper o diálogo comos Estados Unidos se Washington não aceitar o seu plano de abandono das ambições nucleares em troca de concessões econômicas e diplomáticas."Se os Estados Unidos não responderem de forma positiva à proposta corajosa da RDPC (República Democrática Popular da Coréia), ficarão com a responsabilidade do abalo dos esforços de diálogo e provocarão uma grave tensão da situação", o diário do partido comunista "Rodong Sinmun".Na primeira negociação com os Estados Unidos e a China no mês passado, em Pequim, Pyongyang propusera abandonar os seus programas de mísseis e armas atômicas em troca de uma série de vantagens econômicas e políticas, segundo fontes norte-americanas.Estas negociações desembocaram num impasse, pois a proposta norte-coreana foi rejeitada como "chantagem" pelos Estados Unidos, que exigem o desmantelamento verificável das instalações nucleares da Coréia do Norte antes de qualquer negociação substancial, enquanto que Pyongyang reclama garantias prévias de segurança.O secretário de Estado norte-americano, Colin Powell, declarou no domingo que os norte-coreanos são "mestres em ambiguidade" quando fazem declarações sobre o seu programa nuclear. "Tudo o que obtiveram em resposta às suas declarações foram condenações. Todos os vizinhos lhes responderam que não cederiam à chantagem, que só traria à Coréia do Norte mais isolamento", declarou.A crise iniciou-se em outubro, quando um enviado norte- americano à Coréia do Norte afirmou que Pyongyang reconhecera ter retomado um programa secreto de enriquecimento de urânio.Depois disso, a Coréia do Norte abandonou o Tratado de Não- Proliferação Nuclear, expulsou os inspetores da agência nuclear da ONU e reativou uma central que tinha sido fechada dentro de um acordo assinado em 1994 com os Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.