Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Coréia do Norte ameaça manter programa nuclear

O negociador da Coréia do Norte para o diálogo de seis lados, Kim Kye-gwan, disse neste sábado ao chegar a Pequim que seu país não vai interromper o seu programa nuclear a menos que os Estados Unidos suspendam completamente suas sanções contra o Banco Delta Asia (BDA), de Macau, no qual contas norte-coreanas foram congeladas há um ano e meio."Se as sanções financeiras contra o BDA não forem levantadas completamente, não vamos deter nosso programa de desenvolvimento nuclear", afirmou o enviado norte-coreano em Pequim. Ele se reunirá com o negociador americano, Christopher Hill. O Departamento do Tesouro americano liberou esta semana o BDA para descongelar as contas norte-coreanas. Mas proibiu que os bancosamericanos façam negócios com o de Macau, o que também é uma sanção contra a Coréia do Norte.O Governo da China "lamentou profundamente" a decisão do Tesouro americano, nas palavras do porta-voz do Ministério de Relações Exteriores.Hill afirmou nesta sexta-feira em Pequim que espera poder explicar pessoalmente a Kim o motivo das novas sanções, e assim continuar o processo de desnuclearização."Compreendemos que o caso do BDA preocupa os norte-coreanos. Mas queremos dar uma explicação a eles e aos chineses. Tenho certeza de que entenderão e poderemos seguir adiante", disse Hill.Em 2005, os EUA consideraram que o BDA estava ajudando a Coréia do Norte a lavar dinheiro procedente do contrabando de armas e outras atividades ilícitas. Por isso decidiu congelar contas de mais de US$ 24 milhões.A medida causou a suspensão durante um ano do diálogo para a desnuclearização da Coréia do Norte, que adotou uma posição mais agressiva, até outubro de 2006, quando realizou seu primeiro teste nuclear.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.