Coreia do Norte ameaça reforçar poder nuclear

Pyongyang considerou que o diálogo para sua desnuclearização 'já não será mais necessário'

Efe,

14 de abril de 2009 | 04h48

A Coreia do Norte ameaçou nesta terça-feira, 14, reforçar seu "poder dissuasivo nuclear", após o Conselho de Segurança da ONU ter decidido condenar o lançamento de um foguete de longo alcance, segundo informou a agência oficial de notícias norte-coreana KCNA.

 

Veja também:

linkWashington e Seul aplaudem condenação à Coreia do Norte

linkJapão apoia condenação da ONU à Coreia do Norte

linkONU condena unanimamente Coreia do Norte e pede sanções

linkGilles Lapouge: Coreia do Norte põe em risco sonho de Obama

video Roberto Godoy analisa a tensão entre Coreia e EUA

lista Conheça o arsenal de mísseis norte-coreano

 

Pyongyang considerou que o diálogo para sua desnuclearização, que conta com a participação das duas Coreias, China, Japão, Estados Unidos e Rússia, "já não será mais necessário".

 

A Coreia do Norte, que rejeitou a resolução das Nações Unidas, disse que "não participará mais dessas negociações e que não se sentirá obrigada por nenhum acordo conseguido nessas conversas", segundo noticia a KCNA, citada pela agência sul-coreana Yonhap.

 

Pyongyang disse também que estudará de forma ativa um modo para construir um reator de água leve para gerar energia nuclear e que seguirá com seu "direito soberano" ao uso pacífico do espaço baseado no direito internacional, contra "a tirania" do Conselho de Segurança da ONU.

 

Nesta segunda-feira, o Conselho de Segurança das Nações Unidas condenou a Coreia do Norte pelo lançamento de um foguete de longo alcance no último dia 5 e exigiu que não repita ações do tipo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.